Principais dificuldades dos designers no mercado de trabalho

Dificuldade de designers

Entregar soluções criativas para seu cliente é o papel principal do designer. Nesse caminho, destacam-se os profissionais que estão atualizados e alinhados com as expectativas do projeto. No entanto, nessa jornada entre a concepção do projeto e a execução do design, surgem diversas dificuldades, cenários que exigem identificação e rápida tomada de decisão.

Pensando nisso, no post de hoje, você verá algumas das principais dificuldades dos designers no mercado de trabalho. Acompanhe!

1. As dificuldades dos designers qualificados contra a desvalorização

Uma dificuldade já conhecida dos designers no mercado de trabalho é a informalidade em determinados segmentos. Pessoas não profissionalizadas oferecem serviços a baixo custo e, infelizmente, existem empresas que apoiam essa prática.

É importante que designers sejam uma voz responsável para denunciar essas práticas nocivas e, assim, valorizar a qualificação da profissão.

Como você sabe, design vai além do domínio de softwares gráficos. É preciso fundamento teórico e conhecimentos para sustentar um projeto sério nesse mercado.

2. Cumprimento de prazos

A elaboração de um projeto de design envolve a definição de escopo e prazos. Comunicar o valor do design para o cliente, em um planejamento, depende de uma série de fatores. Entre eles, a estipulação de um prazo a partir da definição e o detalhamento das etapas de design.

Designer e cliente, em um projeto gráfico, devem cumprir suas responsabilidades em relação aos prazos estipulados. O agendamento de outros projetos e prazos necessários para possíveis alterações deve ser levado em conta. Afinal, o mercado de trabalho exige que um volume maior de projetos e trabalhos freelancer sejam encaixados na agenda do designer.

A coordenação de projetos é uma habilidade essencial para que sejam superadas essas dificuldades dos designers. Essa é uma rotina que exige flexibilidade e desenvoltura na comunicação com o cliente.

3. Manter o equilíbrio entre inovação e praticidade

Em um mercado como o do design, muitos dos projetos de arte se tornaram mais massificados em diversos segmentos. Isso gera um dilema para os profissionais da área de design. Entregar um projeto inovador exige investimento de tempo e recursos pessoais, por isso, é importante que se desenvolva um planejamento adequado ao escopo do projeto de design.

Equilibrar inovação e praticidade em um projeto depende, em grande medida, de sua proposta. É preciso comunicar a um cliente sobre a necessidade de inovação em um projeto e os reajustes necessários exigidos. O valor de investimento em inovação é alto, portanto, não basta que o cliente deseje inovação. O importante é saber determinar se o retorno desse investimento é coerente.

4. Falta de habilidade de negociação

Essa é uma das grandes dificuldades dos designers. Ao apresentarem uma proposta, muitos desses profissionais têm dificuldade ao estipular um valor. A desvalorização do mercado, como vimos, contribui para que a precificação se torne uma barreira ainda mais difícil de transpor.

Por isso, é importante que haja, além de um diálogo transparente, uma mensuração que reflita o valor do projeto de design a ser produzido.

Considerações finais

O mercado de design está cada vez mais voltado em resolver as dores do cliente final. Com isso em mente, o papel do designer é oferecer uma comunicação otimizada, assim, o desenvolvimento do projeto pode gerar melhores resultados.

O designer, atualmente, tem em mãos os dados necessários para oferecer ao cliente um projeto ajustado às suas necessidades. Munidos dessas informações, os profissionais têm a oportunidade de desenvolver projetos de forma colaborativa e mais assertiva, superando essas dificuldades dos designers no mercado de trabalho.

Já conhece nossa plataforma que conecta Arquitetos e Designer? Se não clique aqui é conheça o Portal Criativando.

Você já se deparou com essas dificuldades? Há outros desafios presentes na sua rotina de designer?

 

Recommended Posts